A Estrela de Joana

8888888888

A Estrela de Joana

Mensagempor 8888888888 » 04 set 2007, 16:37

Sinopse

Inspector da PJ escreve livro sobre "Caso Joana".
Lembra-se de Joana Cipriano? A menina de oito anos cujo desaparecimento chocou Portugal em 2004? O caso e as peripécias do dia a dia que lhe foram inerentes são agora relatados em livro por um dos inspectores da Polícia Judiciária que acompanhou as investigações. Autor e personagem de A Estrela de Joana, Paulo Pereira Cristóvão foi destacado, juntamente com dois colegas da Direcção Central de Combate ao Banditismo, para interrogar o tio de Joana, detido por suspeitas de envolvimento no desaparecimento da sobrinha. Os inspectores acabam por envolver-se na investigação e contribuem para sustentar a teoria de homicídio. Em A Estrela de Joana, o autor dá conta do quotidiano destes agentes e do desenrolar das pesquisas. O objectivo acaba por nunca ser atingido. Depois de semanas de buscas, o corpo de Joana não é encontrado. Os inspectores regressam a Lisboa. Numa esplanada, junto ao rio Tejo, comovem-se quando avistam uma estrela cadente, a estrela de Joana. Um livro que se assume como uma homenagem à corajosa Joana para sempre na memória de todos nós.


http://www.webboom.pt/ficha.asp?ID=164570

Cristina

Avatar do Utilizador
matahary
Mensagens: 2623
Registado: 13 fev 2004, 13:20
Localização: Além do Tejo

Re: A Estrela de Joana

Mensagempor matahary » 24 set 2007, 20:34

Ao que isto chegou!

Num impulso, comprei o livro.
Durante algum tempo ficou para lá, esquecido. Hoje encontrou-me e levei-o comigo para ler.

Fiquei estupefacta perante o que li. Cheguei a ler duas e três vezes a mesma frase para ver se tinha entendido bem.

Não há pachorra.

Para mim, este livro, não é mais do que um aproveitar de um caso badalado, para lamber as feridas, exorcizar as mágoas, e com isso chamar-nos, a nós populaça, ao sentimento. Se este livro trouxesse brinde, certamente seria uma caixinha com lágrimas.
Misturou dois assuntos. Não é justo. Não é justo para a menina chamada Joana. E aos leitores, como eu, enganou-nos, mas esta postura, possivelmente, não será mais do que uma segunda pele - devia ter esperado isto!

Um homem que diz que, passo a citar, "Tive o privilégio de conhecer, [...] tudo, mas mesmo tudo, de mau e de bom que esta sociedade é capaz de conceber.", para além do auto-convencimento, é um homem acabado. Há que andar para a frente e deixar o passado. Há tantas coisas que desconheces. Pobre homem que pensa como tu. No entanto, se as tuas últimas palavras da página 12, tinham o objectivo de surtir empatia, simpatia... Nem lá perto passou. E tenho pena.

Quem espera reconhecimento dos outros pelo que faz, é o que acontece - desilusão. Pensei que soubesses.

Boas vendas.

Página 11
Página 12
"Satisfaça-se com o que lhe agrada, e deixe os outros falarem de si como lhes agrada." - Pitágoras

Uma por dia, tira a azia.

Matisyahu - One Day ^.^ Aurea - Busy for Me


Voltar para “Literatura”

Quem está ligado:

Utilizadores neste fórum: CommonCrawl e 0 visitante